Série Entidades de Classe – Cooperativas de Fisioterapeutas

copoerativa 5

As cooperativas são reconhecidas por lei no Brasil desde 1971. O conjunto de normas que regulamenta esse setor de produção reconhece que o trabalho tem como princípio número um a adesão voluntária e livre. Um grupo só pode existir com mais de 20 membros.

É muito comum observamos COOPERATIVAS DE FISIOTERAPIA  prestando serviços em Hospitais, contudo, essa, organizando-se de maneira profissional, poderá atender em diversos locais como clínicas, domicílios escolas etc. Temos como exemplo a UNIMED que é uma das maiores corporações médicas do mundo

Nenhum associado é EMPREGADO DA COOPERATIVA, não ser as pessoas da parte administrativa e manutenção. Todos os FISIOTERAPEUTAS possuem suas escalas e outras rotinas dentro da instituição. Nos hospitais observamos isso em regime de plantões e/ou turnos que variam de acordo com a demanda.

Devido a complexidade da abertura e manutenção das COOPERATIVAS muitos colegas ERRADAMENTE criam EMPRESAS e as fazem funcionar como COOPERATIVAS. Isso é extremamente perigoso, pois no caso de “sociedades simples ou sociedades limitadas” observa-se que todos, que ali trabalham, tenham carteira assinada.

As determinações de como serão realizados os trabalhos, os horários, e possíveis reclamações quanto ao desempenho do cooperado deve ser feito pelo Gestor da Cooperativa Ação. Assim também deve ser feito por parte do Cooperado, qualquer reclamação, sugestão, solicitações, justificativas de falta devem ser feitos ao Gestor ou diretamente na Sede da Cooperativa, pessoalmente ou por telefone. Afinal, você não é funcionário da empresa e sim um autônomo sócio da Cooperativa Ação, que é a prestadora de serviços e responsável pelo desempenho de seus associados.

FONTE: http://www.brasilcooperativo.coop.br

 

 

Série Entidades de Classe – Associações

associação

Associações são agremiação que podem representar Fisioterapeutas ou Prestadores de Serviços Fisioterapêuticos com objetivos sociais, científicos, políticos ou financeiros.

As associações de profissionais normalmente estão envolvidas com a promoção de eventos  para a classe. Essa também acaba chancelando tais eventos, dando-lhes, assim, maior credibilidade.

As associações de prestadores de serviços Fisioterapêuticos representam os consultórios e/ou as empresas de Fisioterapia. Essas acabam direcionando-se mais nas negociações com as OPS(Operadoras de Planos de Saúde) no quesito honorários dos serviços prestados.

A filiação às associações não é obrigatória, da mesma forma os ganhos também não necessariamente precisariam ser repassados para todos os que não se associaram. Isso é uma das principais diferenças dessas frente aos sindicatos.

O processo de criação de uma associação passa pelas seguintes etapas:

1) Convocação – Anúncio em jornais de grande circulação

2) Assembléia Geral

3) Leitura de Estatuto

4) Preparo de ATA

5) Registro em Cartório

6) Registro na Receita Federal

7) Estabelecimento Fixo

8) Registro na Prefeitura

9) Conta Bancária.

 

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor

 

Série Entidades de Classe – Sinfito

sindicato fisioterapia

O SINFITO é uma associação de fisioterapeutas tendo como função defender os seus interesses e direitos profissionais e de sua cidadania. Aliás, salienta-se a capacidade negocial que um SINFITO detém, concretamente, o direito de contratação coletiva, constitucionalmente consagrado, bem como a capacidade judiciária (isto é, o fato de poderem intervir como parte legítima em ações judiciais) e o direito de participação (nomeadamente na elaboração da legislação laboral).

Toda a ação sindical é um contributo dos fisioterapeutas não apenas para a defesa dos seus próprios interesses, como também para o desenvolvimento da própria sociedade.

O SINFITO não se limita a tratar dos problemas coletivos, decorrentes do exercício da própria profissão, mas igualmente se preocupa com a condição social dos fisioterapeutas enquanto cidadãos, estando aí a ação sindical direcionada para questões extra profissionais.

Um conjunto de fisioterapeutas tem mais força para agir do que cada um por si, individualmente. Se, por exemplo, um Fisioterapeuta tiver razões para se dirigir ao governo ou empresa, para protestar ou reivindicar medidas, sozinho nada consegue. Mas muitos milhares de fisioterapeutas, devidamente organizados, seguramente conseguirão. O mesmo se passa quanto aos fisioterapeutas!

Há fisioterapeutas que só pensam em sindicalizar-se quando estiverem confrontados com problemas concretos. Isso é bem comum, mas, pode ser, porém, já tarde demais. O seu isolamento leva-os a formar idéias vagas e confusas perante posições difíceis, pois em algum momento anterior a entidade empregadora providenciou para que houvesse um deslize, uma ação ou uma omissão que vão prejudicar decisivamente a sua defesa.

Prevenir é sempre melhor que remediar. Os fisioterapeutas sindicalizados vão-se enriquecendo, de múltiplas formas, com vista à defesa dos seus interesses individuais e coletivos, devido às informações que o SINFITO lhes faz chegar. Estar sindicalizado é, por isso, um investimento numa organização dos e ao serviço dos fisioterapeutas, onde estes constituem o eixo central de toda a sua atividade e cujos benefícios se refletem no dia a dia da sua atividade profissional.

Endereço dos Sindicatos: acesse aqui

 

Série Entidades de Classe

Entidades de classe

Conhecer as ENTIDADES DE CLASSE e o papel de cada uma é de fundamental importância para que não fiquemos simplesmente resmungando palavras que não levarão a nada. Todas as profissões terão as suas características e a FISIOTERAPIA não foge a regra.

Estaremos nos próximos dias dissertando sobre cada uma dessas tão DESCONHECIDAS por todos nós. Nosso objetivo não é de PROTECIONISMO, mas de ESCLARECIMENTO frente a inúmeros absurdos que costumamos ouvir e vivenciar na vida acadêmica e profissional. CENTROS ACADÊMICOS, CONSELHOS, SINDICATOS, COOPERATIVAS, ASSOCIAÇÕES, FEDERAÇÕES E CONFEDERAÇÕES constituirão o conteúdo de nosso blog nos próximos dias.

Todas as críticas serão aceitas, afinal estamos num espaço público ,contudo, reflita antes de comentar, apresente alternativas, seja pró-ativo. Somente assim teremos um debate de alto nível, eficiente e eficaz.

O passado nos ensina, o futuro nos inspira, mas o hoje é quem determina o que somos.

Conhecimento

A melhor forma de se atingir objetivos é através de aprimoramento pessoal. A criança, ávida por conhecimento, pergunta sobre tudo e todos. O encanto da descoberta a estimula a continuar no seu mundo “real” que, para nós, pode ser pura fantasia. Com o passar dos anos, tal brio parece perecer, problemas, obrigações sociais e várias outras desculpas nos afastam dessa vontade tão comum nos anos mais tenros. No livro O Mundo de Sofia, seu autor, Jostein Gaarder, descreve com maestria todo esse poder inerente aos pequenos sábios. Recomendo leitura.

Quando renovamos nossos conhecimentos, renascemos para um mundo, até então, desconhecido. A vaidade cede lugar a determinação e ai trilhamos nosso caminho passo-a–passo rumo a liberdade, pois a vida vai nos ensinando que o lamento somente tem valor quando dito para algumas pedras empilhadas lá no Oriente Médio.

O passado nos ensina, o futuro nos inspira, mas o hoje é quem determina o que somos.

Mais tarde lá na UNIFOR, a TURMA DO MBA DE GESTÃO EM NEGÓCIOS DE SAÚDE  irá compartilhar, mais uma vez, de momentos únicos.

 

Luis Henrique Cintra

 

 

O que é Convenção Coletiva – Salário do Fisioterapeuta

convenção coletiva3

Chamamos Convenção Coletiva os acordos realizados entre os SINDICATOS DE TRABALHADORES  FISIOTERAPEUTAS e EMPREGADORES(clínicas, hospitais ou demais empresas contratantes)

Uma vez por ano, na data-base, é convocada Assembléia Geral para instalar o processo de negociações coletivas. Isto significa que, nesta data, reajustes, pisos salariais, benefícios, direitos e deveres de empregadores e FISIOTERAPEUTAS serão objeto de negociações.

Se os sindicatos, autorizados pelas respectivas assembléias gerais, estiverem de acordo com as condições estipuladas na negociação assinam a Convenção Coletiva de Trabalho, o documento que deverá ser registrado e homologado no órgão regional do Ministério do Trabalho (DRT).

As determinações da Convenção Coletiva atingem a todos os integrantes da categoria. A Convenção Coletiva entra em vigor três dias após a data de entrega (protocolo) no DRT, conforme determina o parágrafo 1o. do art. 614 da Consolidação das Leis do Trabalho (C.L.T.). Quem tem direito: As decisões estipuladas nas convenções coletivas transformam-se em direitos e deveres para todos os trabalhadores e empregadores.

No Ceará, você poderá poderá baixar o documento acessando o link: Convenção Coletiva_ 2013-2014

Em São Paulo, você poderá poderá baixar o documento acessando o link: Convenção Coletiva_2013-2014

FONTE: SITE DO CREFITO 06 / SINFITO SP

Fisioterapia nos esportes, avanços no mercado de trabalho

Fisioterapia nos Esportes

Minha cidade, Fortaleza, sem dúvidas, é uma da mais lindas do Brasil. Sou bairrista sim, mas é nesse cenário que descreverei algumas das características do Fisioterapeuta que deseja trabalhar com atletas, sejam esses, profissionais, ou somente aqueles que realizam suas atividades com alguma frequência, sem desejar, ainda bem, a performace dos jogadores de futebol.

A Fisioterapia nos esportes vem alcançando nos últimos cinco anos patamares nunca observados na história de nossa profissão. A popularização dos métodos de Terapia Manual e demais métodos computadorizados, chegando esses até as faculdades, tornou o Fisioterapeuta um dos profissionais mais requisitados no mercado para garantir as boas condições para a prática dos mais variados esportes.

Em Fortaleza, a onda de pessoas que passou a usar a Beirar Mar como academia é impressionante. Hoje, as “corridas” são verdadeiros eventos em minha cidade. Excelente mercado para quem desejar trabalhar com avaliação da marcha e/ou corrida, palmilhas posturais ou recuperação de lesões causadas pelas práticas acima descritas. Em parceria com outros colegas como: Educadores Físicos, Nutricionistas e Médicos, nós Fisioterapeutas teremos muito que trabalhar com aqueles que buscam sua merecida saúde.

Para aqueles colegas que se direcionam no trabalho com ATLETAS PROFISSIONAIS o foco é outro. Praticantes de MMA, jogadores de futebol, ginastas e demais atletas de diferentes esportes com “metas a cumprir” encontram em nossas mãos  a esperança do retorno aos treinos e, claro, a glória. Faço aqui alusão ao meu amigo Ricardo Regi, ex Fisioterapeuta da Seleção Brasileira de Vôlei Feminino e monitor na Formação de RPGistas e do SGA como exemplo desses profissionais, José Bezerra Goes, Fisioterapeuta do Ferroviário Esporte Clube, Prof.Rafael Temóteo da Universidade Federal do Ceará e Jacques Esmeraldo especialista em Baropodometria e confecção de palmilhas posturais. Abraço a todos!

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor